Para fugir de SP…Peru

Peru

 

Conforme prometido aqui, vamos ao primeiro post sobre lugares legais para recuperarmos as energias.

Quem me conhece, sabe que a data do ano mais importante para mim é meu aniversário, 5 de setembro! Então, este ano, resolvi aproveitar para conhecer um lugar novo e que sempre tive curiosidade, Peru. E, claro, Machu Picchu. Foi realmente fantástico. Amei e super recomendo. Portanto, aí vão algumas dicas para quem está a fim de desbravar um pouco mais a terra dos Incas.

1) Lima

Quando a gente fala em Peru a primeira coisa que vem à cabeça é Machu Picchu, uma das 7 maravilhas do mundo moderno. Sim, realmente TEM QUE IR para lá. Mas o Peru não se resume apenas a Machu Picchu. Lima é uma cidade maravilhosa, com uma das melhores culinárias da America do Sul, conhecida como comida fusion. Por isso, recomendo, quando planejar sua viagem, reservar alguns dias para explorar um pouco a capital do país.

Primeira coisa que você vai reparar, é o clima de Lima. Parece que vai chover a qualquer momento. É sempre, sempre nublado. Porém, não chove nunca. Isso mesmo, o máximo que acontece é uma leve garoa. Não mais que isso.

Lima tem muita coisa para fazer, mas o foco principal são os restaurantes. Sim, come-se MUITO bem por lá e melhor, MUITO BARATO. Sério, restaurante ótimo, é o mesmo preço de um restaurante bem meia boca aqui em São Paulo.

Dos restaurantes que conheci o que mais gostei foi o Lima 27. Aliás, foi onde jantamos no dia do meu aniversário. Outro delicioso é o Cala, com uma área externa com vista para o Pacífico. Aliás, quem não conhece o Oceano Pacífico, tem que descer até o mar e colocar a mão na água gelada.

Também conheci o restaurante Tanta, da mulher do Gastón Acurio, chef badaladinho do momento. Bem gostoso e barato. Olha para falar bem a verdade, não se come mal em Lima, em nenhum lugar. Essa é a grande verdade.

Bom, alguns pratos que precisa experimentar. Ceviche, óbvio. Polvo, antigamente alguns pratos eram feitos com polvo bebê, mas agora está proibido. De qualquer forma, peça polvo. Outra ótima pedida é Mero, um peixe que tem a pesca proibida no Brasil. Também recomendo experimentar calza, uma entradinha feita de batata. Ah! E não deixem de tomar o sorvete de lúcuma. Fiquei apaixonada!

Outra coisa que o Peru tem muito, é milho. Sim, gente, é muita opção de milho. De tudo quanto é jeito e tudo quanto é cor. Uma dica é experimentar o suco Chica Morada, que é feito de milho roxo. Antes de achar que parece estranho, experimente. É bem gostoso!

Ainda em Lima, não deixem de visitar o Museo Larco. É lindo. Todo mundo fala sobre o Museu do Ouro, mas confesso, que não gostei. Achei o Museo Larco bem melhor. Ele fica numa casa antiga, tem um restaurante no jardim delicioso. É super organizado e bem explicativo. Uma curiosidade sobre esse museu, é que ele possui uma sala erótica. São esculturas eróticas incas. Mas o melhor é que as esculturas são bem explicitas e do lado tem a explicação sobre o que está rolando hahahahahahah. Enfim, vale a pena visitar.

Um programa turístico, mas bem legal, é jantar no restaurante Huaca Pucllana, que tem vista para uma das pirâmides. Sim, Lima possui duas pirâmides dentro da cidade. É possível visitar, mas não por dentro. Enfim, jantar nesse restaurante é bem gostoso e a vista da pirâmide iluminada é linda.

E por último, mas não menos importante, não deixem de passear pelo bairro boêmio, Barranco. É uma delícia!

2) Machu Picchu

Peru

 

Agora chegou a hora de conhecer o tão famoso Machu Picchu. Primeiro, vamos ao roteirinho básico de como chegar lá. De Lima pega um avião para Cuzco, de Cuzco pega um trem para Águas Calientes, de Águas Calientes pega uma van que deixa na entrada de Machu Picchu. Calma minha gente, não é tão complicado como parece.

Vou explicar como eu fiz. Mas antes vale lembrar que é uma viagem muito cansativa. Primeiro, por causa da altitude. E segundo, porque a gente anda muito. Então, vamos lá.

É uma viagem que TEM QUE FAZER COM GUIA. Sim, pois caso o contrário é só um monte de pedra e você não vai entender nada. Eu fiz todas as reservas pela internet, links no final do post. Porém, para contratar os guias em Cuzco, Vale Sagrado…. eu contratei através de uma agência peruana que gostei muito. Super recomendo. Os guias eram bem especializados. A agência é Bumeran Travel e pode falar com a Noelia. Ela é uma graça e resolve tudo através do skype. Também fechei os traslados aeroporto – hotel – aeroporto com ela.

Então, o roteiro que eu fiz foi o seguinte.

Peguei o avião logo cedo em Lima e fui para Cuzco. Chegamos em Cuzco por volta das 11 da manhã. A tarde ficamos por lá, fizemos um city tour e descansamos um pouco. É muito importante não marcar muita coisa para esse primeiro dia, por causa da altitude. A única coisa que senti foi muito cansaço. Dava dois passos e parecia que estava escalando o Everest. Meu namorado sofreu um pouco mais, teve dor de cabeça, tontura e o nariz sangrou. Mas não é nada de outro mundo não. Você fica tomando o chá de Coca e para os piores casos tem um remedinho, conhecido como Soroche Pills, que resolve. Enfim, nada que você não se acostume.

Bom, no segundo dia, os guias nos pegaram no hotel e fomos fazer o tour pelo Vale Sagrado, onde você visita várias ruínas Incas, como Sacsayhuaman, Pisac, etc. Terminamos o tour em Ollantaytambo, pois iríamos pegar o trem ali para Águas Calientes. Normalmente, nesse tour pelo Vale Sagrado o almoço já está incluído. Não é nada demais. São aqueles restaurantes de comidas típicas. Aliás é bom falar que a comida da montanha é bem diferente da comida de Lima.

Vale a pena experimentar Alpaca e Cuy, que nada mais é que o famoso porquinho da índia. Sim, eles comem porquinho da índia na região das montanhas, como Cuzco. Gente, releva o fato se você teve um desses bichinhos na infância e experimenta. Bem verdade que tem pouca carne, mas é gostoso. Para quem ficou curioso, aí vai uma foto do cuy servido inteiro.

Peru

 

Voltando. Pegamos o trem na estação de Ollantaytambo rumo a Águas Calientes. Leva mais ou menos 1,5 hora.

É bom falar que Águas Calientes é uma cidade apenas para dormir, para ir no dia seguinte para Machu Picchu. Gente, é horrível. Parece uma grande rodoviária. É minúscula, você faz tudo a pé. Inclusive, as pessoas do hotel que vão te buscar, vão a pé. Enfim, não esperem nada desse lugar. É apenas para dormir.

Bom, dormimos lá e no dia seguinte fomos bem cedo para Machu Picchu. Então, existe Machu Picchu que são as famosas ruínas, mas ao redor existem várias montanhas que você pode escalar. Minha irmã que tinha ido antes de mim e um amigo peruano, me falaram que eu não poderia deixar de ir a Wayna Picchu. O limite diário de visitas em Wayna Picchu é limitado e você tem que comprar o ingresso com muita antecedência, senão acaba. Acabei comprando para o primeiro horário 7 horas da manhã, para ver o nascer do sol da montanha.

Acordamos bem cedo. Fomos até as vans que levam a Machu Picchu. É só perguntar de onde saem as vans, é bem fácil e barato. Leva mais ou menos uma meia hora até a entrada.

Detalhe básico, nos falaram que não precisaríamos de guia para Wayna Picchu. Então, chegamos e começamos a andar por lá. Achamos interessante, um monte de pedra, até que uma hora eu falei “Legal, vamos para Machu Picchu agora?”. Eu acabei de falar isso e vi uma placa enorme “Entrada de Wayna Picchu”. Daí, eu “Peraí, se a entrada de de Wayna Picchu é essa, onde estamos?”. O namorado responde “A gente está em Machu Picchu” hahahahahahhahahahah. Gente, vamos levar em conta que isso era antes das 7 da manhã, não tinha acordado direito ainda. Daí vamos nós, os perdidos, para a entrada de Wayna Picchu. Quando nos demos conta, era uma puta montanha que teríamos que escalar. Resumindo, levamos 2 horas para chegar ao topo e 1,5 hora para descer. Mas posso falar? Foi incrível. É muito, muito, muito cansativo. Nada que seja impossível. Encontramos uma senhora que devia ter mais de 80 anos e estava melhor que a gente.

Bom, no começo, é tranquilo, mas depois quando você vai chegando perto do cume a coisa começa a ficar um pouco feia (pelo menos para mim, que tenho pânico de altura). Você sobe por uma escadinha de pedra minúscula do tempo dos Incas. Mas vale a pena. Aquela famosa vista de Machu Picchu é de lá.

 

Peru

 

Como tudo que sobe, desce. Começamos a descida. Ok. Confesso que nessa hora eu gelei. Lembra da mini escada Inca que você tem que subir, pois é, você tem que descer por ela também. O problema é que quando você está lá em cima, de um lado tem uma pedra que você pode se apoiar e do outro, NADA. Ou seja, F#%@*

Não tive dúvidas. Desci de bunda! Nessa parte da foto, já estava bem mais tranquilo. Mas para vocês terem uma idéia, a escada é assim desde lá de cima.

 

Peru

 

Quando voltamos de Wayna Picchu, fomos almoçar e depois pegamos um guia, que acabamos contratando ali mesmo e voltamos para Machu Picchu. Este foi o único guia que eu não contratei com a agência e me arrependi.

No final do dia, pegamos o trem de volta para Cuzco. Na verdade a estação que o trem pára na volta é Poroy. A volta são 3 horas de viagem e chegando em Poroy, você pode pegar um taxi para Cuzco.

Chegamos de volta no hotel em Cuzco e capotamos.

Como eu sabia que essa viagem seria cansativa, ficamos o dia seguinte em Cuzco descansando e somente no outro dia voltamos para Lima.

Restaurantes gostosos para conhecer em Cuzco. Uchu Peruvian Steakhouse, o restaurante é uma delícia, a comida é bem gostosa,  bom lugar para experimentar Alpaca. La Bodega 138, restaurante famoso pelas pizzas, mas também serve massas em geral. Casa Qrikancha, ótimo para o primeiro dia, quando a gente ainda está se acostumando com a altitude. Sente na parte de fora com vista para o pátio e peça algumas tapas. Deva restaurante típico, experimente o cuy. Se quiser pode ir na cozinha ver o preparo.

Dicas Extras

– Leve seu passaporte para Machu Picchu. Você pode carimbá-lo na entrada.

– Eu não consegui comprar Soles aqui em São Paulo. Então, levei Dólar mesmo. É bem mais fácil e todo mundo aceita lá.

– Se for comprar algo, a regra é, negocie. Sempre.

– Os hotéis em Cuzco já estão acostumados com as pessoas fazendo esse roteiro, portanto, você não precisa levar toda sua mala para Águas Calientes. Você pode deixar a mala no hotel em Cuzco mesmo e levar apenas uma malinha pequena para o roteiro do Vale Sagrado + Machu Picchu. Na volta, você pega a sua mala no hotel. Em Águas Calientes, você também pode deixar sua mala na recepção do hotel e ir para Machu Picchu. Na volta, antes de pegar o trem, você passa no hotel e retira a mala.

Bom pessoal, eu aproveitei muito essa viagem e acho que super vale a pena. É uma viagem bem diferente e maravilhosa!

Ah! Também é bom falar que Peru não se resume a Machu Picchu, também tem outros lugares como o Lago Titicaca e as ruínas do norte, que não conheci desta vez.

Links Úteis

Tripadvisor Lima

Tripadvisor Cuzco

Ingresso para Machu Picchu + Wayna Picchu

Passagens de trem

Para se sentir no Peru 

Gostou? Quer ir já para o Peru? Bom, aí vão algumas dicas de restaurantes peruanos aqui em São Paulo mesmo, para você já começar a entrar no clima da viagem.

La Mar

Suri

Riconcito Peruano

Chifa Wok

Maremotto

 

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.