A graça do surrealismo: Frida Kahlo

Essa é a terra das mega exposições que que trazem um mega público e que ninguém está muito afim de ficar de fora desses eventos, principalmente um dos mais aguardados do ano: “Frida Kahlo – conexões entre mulheres surrealistas no México”, recebe 20 obras da queridíssima Frida, com pinturas de Maria Izquierdo, Remedios Varo, Leonora Carrigton e outras 11 artistas.

A exposição já começou dia 27/09 e vai até 10 de janeiro de 2016 e traz um universo de criação surrealista, no campo que considero pela linguagem e gênero, o mais autêntico da arte.

A parte que representa uma figuração, mas está envolvida com os impulsos do imaginário do artista, que como um canal, transfere para a tela o campo mais íntimo do seu pensamento, porém mesmo sendo uma experiência pessoal, nós com o espírito humano, podemos captar sem muito esforço o poder que contém a obra dessa artista que se faz entender por temas fortes, de cores pulsantes, retratam em parte a própria história e a cultura mexicana devido a seus elementos folclóricos.

Screen Shot 2015-10-02 at 10.46.32

Foto: Gabriel Nogueira

Frida passou por diversas crises em sua vida, contraiu poliomielite quando tinha 6 anos, e passou a usar calças compridas e saias longas devido a lesões deixadas pela doença em seu pé direito. Sofreu um grave acidente aos 18 anos, no choque do bonde em que ela estava com um trem, que a deixou por meses no limite entre a vida e a morte, e mesmo de repouso, começa a pintar uma série de telas, passando por diversas cirurgias nesse período, por causa de sua coluna.

Antes mesmo do contato mais profissional com a arte, cursou medicina, mas a vida a levou para seu lugar, a arte, em sua carreira criou apenas 143 telas entre desenhos, litografias, gravuras e colagens, dentre essas obras ela aparece com frequência, seja em autorretratos ou em imagens simbólicas que traçam um panorama de sua vida pessoal, algumas dessas telas estão entre as 20 que fazem parte da exposição, como em “Diego, yo y el señor Xolotl”, “Diego em mi pensamiento” e “El abrazo de amor del universo”, retratando o também pintor Diego Rivera com quem se casou por duas vezes e que influenciou sua obra e viveu uma relação muito tempestuosa de altos e baixos. Nessa relação, ela desejava ter um filho, porém sofreu três abortos, que retrata na litografia “Frida e el aborto”.

Viveu por 47 anos e deixou sua influência para outros artistas de sua época, que também estão nessa ótima exposição.

Screen Shot 2015-10-02 at 10.46.44

“El Abrazo de amor del universo”

 

Serviço

Frida Kahlo – conexões entre mulheres surrealistas no México

Local: Instituto Tomie Ohtake

Endereço: Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros – São Paulo, SP – (11) 2245-1900 – Mapa

Datas e Horários: Terça a Domingo | 11h às 20h

Ingressos: R$ 10,00 (inteira)| R$ 5,00 (meia)

*Exposição gratuita toda terça-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *